Buscar
  • Ricardo Rocha de Oliveira

AEAPG debate propostas e posicionamentos das Candidaturas ao Crea-PR, Mútua-PR e Confea



Entidade tradicional, consolidada e de intensa atividade, a Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Ponta Grossa (AEAPG) conheceu na última quarta-feira as propostas do Eng. Ricardo Rocha (31) para a segunda gestão na presidência do Crea-PR.


O candidato iniciou a webconferência enaltecendo a boa parceria da AEAPG com o Conselho, seja na utilização de recursos dos Editais de Chamamento para diversas ações (como o evento CONET), seja na parceria de uso da estrutura da Entidades com contrapartida do Crea-PR de comodato de equipamentos de audiovisual, bem como na participação ativa do presidente da entidade, Eng. Civ. Rafael Mansani, no Colégio de Entidades de Classe (CDER) e do Conselheiro Regional Eng. Civ. Gerson Carneiro na Diretoria atual do Conselho, como Diretor Financeiro.


Em seguida, o diálogo teve como direcionamento três pontos principais: o posicionamento do sistema profissional sobre o Salário Mínimo Profissional (SMP), a preocupação com os cursos de Ensino à Distância e o efetivo exercício de profissionais em empresas públicas e privadas.


Sobre o primeiro tópico, a AEAPG lembrou que se trata de uma luta de anos, que culminou com a aprovação na Prefeitura Municipal de uma lei que respeita o salário mínimo de entrada e abre a possibilidade de ascensão profissional, a qual desejam reproduzir em outros municípios. “Lembrei que o Crea-PR fiscaliza as empresas privadas, mas ainda depende de um respaldo legal que obrigue as Prefeituras a pagarem o SMP. O que temos feito até o momento é o acompanhamento dos editais e apontamentos frisando a necessidade do respeito ao salário mínimo profissional”, diz o Eng. Ricardo Rocha.


A necessidade de um ensino de Engenharia com qualidade no formato à distância mostrou-se uma grande preocupação dos profissionais presentes, que solicitaram uma intervenção do Confea sobre o tema, demanda devidamente registrada pelo candidato ao cargo de Conselheiro Federal, Eng. Agrônomo Daniel Galafassi.


Por fim, o efetivo exercício profissional em empresas privadas, visto que muitos estão sendo registrados com uma nomenclatura que não remete à Engenharia, além do desrespeito ao SMP. O candidato ao Crea-PR citou o conjunto de ações que já estão em andamento e foram implementados em sua gestão, como apoio a residência técnica para que recém-formados tenham o ingresso correto na profissão, o Portal das Profissões, e o incentivo para que os jovens profissionais ingressem nas entidades de classe para ficarem familiarizamos com temas como tabelas referenciais e ética profissional, entre outros. “São políticas estruturantes que alertam os profissionais para sua inserção adequada no Sistema, com o propósito de pôr um fim a um círculo vicioso que se cria entre o formado e a empresa, e, consequentemente, de fomentar a valorização de nossas profissões”, comenta o Eng. Ricardo Rocha.


“Estou apoiando Ricardo Rocha pela seriedade à frente do Crea-PR, com inovação e dinamismo”, encerra o presidente da AEAPG, Eng. Civil Rafael Mansani.


A reunião remota foi acompanhada também por Julio Russi (61), Luiz Eduardo Caron (71) e Daniel Galafassi (51), candidatos a Diretoria Geral da Mútua, Diretoria Administrativa da Mútua e Conselheiro Federal – Modalidade Agronomia, respectivamente.

37 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo